Para receber as atualizações é muito simples! Basta colocar seu e-mail no campo abaixo!

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

O que é POLEMOLOGIA?


Polemologia é estudo da guerra como fenômeno social autônomo; análise de suas formas, causas, efeitos etc.

Para esclarecer mais sobre esse tema, reproduzo o texto do Professo Doutor Francisco Proença Garcia, da Universidade Católica Portuguesa, que ocupa a cadeira de Polemologia daquela instituição.

Sobre Polemologia



A Guerra foi e permanece como uma das maiores preocupações da humanidade. Este tema, que inspirou a literatura, a arte e a música, tem sido uma preocupação de longa data entre os historiadores, analistas, políticos e militares. 

A Guerra é um fenómeno global, com expressão em todas as regiões do mundo, da Europa à Oceania, das Américas à Ásia, passando por África, sendo a problemática da conflitualidade global permanente reconhecida como central por todos os estudiosos das Relações Internacionais.

As Guerras e as ameaças à Segurança desafiam todos  os aspectos das sociedades onde ocorrem. Nesta ordem de ideias, os  estudos da guerra são imprescindíveis para dar resposta a um conjunto de  perguntas complexas como: 

1. Porquê o surgimento da guerra? 
2. Como tem variado o carácter da guerra ao longo do tempo?  
3. Podem as lições da História facilitar a compreensão da conflitualidade contemporânea e apoiar na determinação de novos riscos? 
4. O uso da Força nas Relações Internacionais ainda é válido?  
5. Como é que os novos desafios como a transformação da Defesa, a revolução na informação e as operações de paz afetam o uso da força nas relações internacionais? 

Os Estudos de Polemologia são assuntos pluridisciplinares desafiantes que determinam o recurso a outras áreas das Ciências Sociais como, por exemplo, a História, a Antropologia Cultural, a Sociologia, as Relações Internacionais, a Estratégia, a Ciência Política, e o Direito. 

Pretende-se com esta disciplina apresentar o  state-of-the-art da Polemologia nas seguintes áreas temáticas: 

1. A Polemologia. Subsídios para o estudo científico da Guerra. Os padrões históricos das guerras e dos conflitos. As tipologias e o espectro da guerra.

2. As guerras globais e a revolução militar na época contemporânea. Os Estudos Estratégicos e a Estratégia Militar. Os grandes pensadores militares do século XIX. A Guerra nas sociedades industriais desenvolvidas. 

3. As Grandes Guerras Mundiais. O impacto das novas tecnologias na Guerra. A actividade militar na 1ª e 2ª Guerras Mundiais. A evolução técnica e do pensamento estratégico até ao início da Guerra-Fria.

4. A Ordem dos pactos militares. A Guerra e a Estratégia no período da Guerra-Fria. A Estratégia da subversão e da contra-subversão.

5. O Fenómeno da Guerra no novo século. As guerras  irregulares e a transformação da natureza dos conflitos armados. As novas ameaças transnacionais e a segurança. A acção estratégica para fazer face às novas ameaças.

6. A Transformação da Defesa e a  Network Centric Warfare. A visão europeia e norte-americana. A privatização da Defesa. A nova economia de Guerra. A Guerra e os media. O Plano do Curso abrange um vasto universo de matérias (...).

Principal bibliografia recomendada: 

POLEMOLOGIA: SESSÃO 1 

A Polemologia. Subsídios para o estudo científico da Guerra. Os padrões históricos das guerras e dos conflitos. As tipologias e o espectro da guerra. 

LEITURAS OBRIGATÓRIAS 
  1. BOUTHOL, Gaston,  Traité de Polemologie – Sociologies des guerres,  Paris, Payot, 1991. 
  2. BOUVET, Beatrice e DENAUD, Patrick, Les guerres qui menacent les mondes. Paris: Editions de Félin, 2003. 
  3. COUTO, Abel,  Elementos de estratégia- Apontamentos para um curso. Pedrouços: Instituto de Alto Estudos Militares, 1989. Vol. I e II.  
  4. ECHEVARRIA II, Antulio,  Globalization and the nature of war. Carlisle: U.S. Army War College, 2003. 
  5. GARCIA, Proença, SARAIVA, Francisca, Subsídios para o estudo científico da Guerra, Estratégia. Lisboa: Instituto Português da Conjuntura Estratégica, Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas e Academia Internacional da Cultura Portuguesa, Vol. XV, (2005), pp. 189 – 206.
  6. GARCIA, Proença, Tipologias de Guerra. Revista Militar. Lisboa: Novembro de 2003, pp. 1103 – 1136. 
  7. GELLER, Daniel e SINGER, David,  Nations at War – A Scientific Study of International Conflict. Cambridge, Cambridge University Press, 1998.  
  8. GLEDITSCH, Kristian - A Revised list of wars between and within Independent States, 1816-2002. In,  International Interactions, 30, Taylor & Francis, p. 231 – 262; 2004 
  9. LEMKE, Douglas,  Regions of War and Peace, Cambridge, Cambridge  University Press, 2002. 
  10. LEVY, Jack, War in the Great Power System 1495-1975, The University Press of Kentucky, 1983 
  11. LEVY, Jack - Theories of General War. In, World Politics. Vol. 37, n.º 3 April, p. 344 – 374; 1985. 
  12. MIDLARSKY, Manus, Handbook of War Studies II, University of Michigan Press, 2000. 
  13. MODELSKI, George e THOMPSON, William, Sea Power in Global Politics 1494 - 1993, MacMillan, 1998. 
  14. RIGHT, Quincy. A Study of War. 2d ed. Chicago: University of Chicago Press, 1963 (1º ed.1942). 
  15. SINGER, David e SMALL, Melvin, The Wages of War 1816-1965, N.York, Wiley, 1972. 
  16. SINGER, David; WAYMAN, Frank e SARKEES, Meredith -  Inter-State, IntraState, and Extra-State Wars: a comprehensive look at their distribution over time, 1816-1997. In, International Studies Quarterly, 47, p. 49-70; 2003 
  17. VASQUEZ, John,  The Scientific Study of Peace and War: A Text Reader. Boston, Lexington Books, 1992. 

LEITURAS COMPLEMENTARES
  1. BONIFACE, Pascal. Guerras do Amanhã. Lisboa: Editorial Inquérito, 2003. 
  2. DOUGHERTY James; PFALTZGRAFF, Robert.  Relações Internacionais: As Teorias em Confronto. Lisboa: Gradiva 2003. 
  3. HOLSTI, Kalevi, The State, War, and the State of War, Cambridge, Cambridge University Press, 1996. 
  4. KALDOR, Mary,  New and Old Wars – Organized Violence in a global era, Stanford University Press, 2001. 
  5. KEEGAN, John, Intelligence in War: Knowledge of the Enemy from Napoleon to Al-Quaeda. New York, Random House, 2003. 
  6. LUTTWAK, Edward N.: Give War a Chance, Foreign Affairs, July/August 1999. 
  7. RAMONET, Ignácio, Guerras do século XXI – novos medos, novas ameaças. Lisboa, Campo das Letras, 2002.


POLEMOLOGIA: SESSÃO 2 

As guerras globais e a revolução militar na época contemporânea. Os Estudos Estratégicos e a Estratégia Militar. Os grandes pensadores militares do século XIX. A Guerra nas sociedades industriais desenvolvidas. 
LEITURAS OBRIGATÓRIAS 
  1. AAVV,  Makers of Modern Strategy from Machiavelli to the Nuclear Age, Princeton University Press, 1986. 
  2. BAYLIS; John, COHEN, WIRTZ, James, Eliot, GRAY, Colin,  Strategy in the Contemporary World, an introduction to strategic studies, New York, Oxford University Press, 2002.  
  3. CHALIAND, Gérard,  The Art of War in World History: From Antiquity to  the Nuclear Age, University of California Press, 1994. 
  4. BEAUFRE, André, Introdução à Estratégia. Lisboa: Sílabo, 2004. 
  5. CLAUSEWITZ, Carl Von, Da Guerra. Lisboa: Ed. Perspectivas e Realidades, 1976. 
  6. COLINS, Michael,  Military Strategy – Principles, practices, and historical perspectives. Washington: Brassey´s, 2002. 
  7. CREVELD, Martin van,  Technology and war,  from 2000 B:C: to the present, New York, Free Press, 1991.  
  8. COUTAU-BEGARIE, Hervé,Traité de statégie. Paris: Economica, 2003. 
  9. FREDERICO II, Reflexões sobre a arte de vencer, Lisboa: Sílabo, 2005. 
  10. FULLER, John, Armament and History: A study of the influence of armament on History from the dawn of classical warfare to the second worl war, Ney York, Scribner, 1945. 
  11. JOMINI, Baron de, Tableau Analytique des Principales Combinaisons de la Guerre et de Leur Rapports Avec la Politique. Des Etats. Paris, 1830 
  12. KEEGAN, John, A History of Warfare, Ney York, Vinatge Books, 1994. 
  13. KEEGAN, John, The Book of War, New York, Penguin, 2000.
  14. PARKER, Geofrey, The military revolution: Military inovation and the rise of the West, 1500-1800, Cambriedge University Press, 1996. 

LEITURAS COMPLEMENTARES 
  1. ARON, Raymond, Penser la Guerre, Clausewitz, Paris: Éditions Galimart, 1976. 
  2. BARATA, Themudo,  As invasões francesas e a organização da resistência Portuguesa, Lisboa, Serviço Histórico Militar, 1989. 
  3. CHARTRAND, René, The Portuguese Army of the Napoleonic Wars, 3º Vols, London, Osprey, 2001. 
  4. MONTROSS, Lynn, War through the ages, New York, Harper and Row, 1960. 


POLEMOLOGIA: SESSÃO 3 

As Grandes Guerras Mundiais. O impacto das novas tecnologias na Guerra. A actividade militar na 1ª e 2ª Guerras Mundiais. A evolução técnica e do pensamento estratégico até ao início da Guerra-Fria. 
LEITURAS OBRIGATÓRIAS 
  1. CHURCHILL, Winston. S.,  Memórias da Segunda Guerra Mundial,  Rio de Janeiro, Nova Fronteira, 1995. 
  2. BARATA, Themudo, e TEIXEIRA, Severiano, A Nova História Militar de Portugal Lisboa: Círculo de Leitores, 2004. Vols.III e IV.
  3. CREVELD, Martin van,  Technology and war,  from 2000 B:C: to the present, New York, Free Press, 1991.  
  4. GARCIA, Francisco Proença,  A Evolução do conceito estratégico ultramarino português e o território de Moçambique. Uma possível síntese, Proelium, Revista da Academia Militar. VI Série, n.º 2, Dezembro de 2004, pp.161-169. 
  5. GARCIA, Francisco Proença, Moçambique na Primeira Guerra Mundial – Do Rovuma ao Nhamacurra. Actas do XIII Colóquio de História Militar, Lisboa, 2003. 
  6. KEEGAN, John, The second world war, New York, Penguin Books, 1990 
  7. KEEGAN, John, The first world war, New York, Random House, 2000. 
  8. KEEGAN, John,  Intelligence in War – Knowledge of the enemy from Napoleon to Al-Qaeda, New York, Random House, 2003. 

LEITURAS COMPLEMENTARES 
  1. AAVV, Makers of Modern Strategy from Machiavelli to the  Nuclear Age, Princeton University Press, 1986. 
  2. FULLER, John, Armament and History: A study of the influence of armament on History from the dawn of classical warfare to the second worl war, Ney York, Scribner, 1945. 
  3. NYE, Joseph,  Compreender os conflitos internacionais – uma introdução à Teoria e à História. Lisboa, Gradiva, 2002.  
  4. HART, Liddell, La Estratégia de aproximación indirecta (Las guerras decisivas de la Historia). Barcelona: Ed. Iberia – Joaquín Gil, 1946. 
  5. OLIVEIRA, General Ramires de, História do Exército Português (1910-1945). Lisboa: Estado-Maior do Exército, 1993. 
  6. TEIXEIRA, Nuno Severiano,  O Poder e a Guerra 1914-1918. Objectivos Nacionais e Estratégias Políticas na Entrada de Portugal na Grande Guerra. Lisboa: Ed. Estampa, 1992. 
  7. TELO, António,  Portugal na Segunda Guerra (1941 – 1945), Lisboa, Vega, 1991. 
  8. TELO, António, Os Açores e o controlo do Atlântico (1898/1948), Lisboa, Asa, 1993. 
  9. TORRE, Hipólito de la,  Na encruzilhada da Grande Guerra, 1913 – 1919. Lisboa, 1980.  


POLEMOLOGIA: SESSÃO 4 

A Ordem dos pactos militares. A Guerra e a Estratégia no período da Guerra-Fria. A Estratégia da subversão e da contra-subversão. 

LEITURAS OBRIGATÓRIAS 
  1. ARON, Raymond, Paix et Guerre entre les Nations. Paris: Calmann-Lévy, 1988. 
  2. BARATA, Themudo, e TEIXEIRA, Severiano, A Nova História Militar de Portugal Lisboa:  Círculo de Leitores, 2004. Vols. IV e V. 
  3. DELMAS, Claude, A Guerra Revolucionária. Lisboa: Publicações EuropaAmérica, 1975.
  4. GARCIA, Proença, A importância das Informações na condução da guerra em Moçambique (1964 -1974). Homenagem ao General Pedro Cardoso – Informações e Segurança, Lisboa, Editora Prefácio, 2004. 
  5. GARCIA, Proença, Análise Global de Uma Guerra (Moçambique 1964 - 1974), Lisboa: Prefácio Editora. 2003. 
  6. GARCIA, Proença, Guiné 1963-1974: Os Movimentos Independentistas, o Islão e o Poder Português, Comissão Portuguesa de História Militar e Universidade Portucalense, Lisboa e Porto, 2000.  
  7. GARCIA, Proença - Descrição do fenómeno subversivo  na actualidade. A estratégia da contra-subversão. Contributos nacionais. In,  Estratégia. Lisboa: Instituto Português da Conjuntura Estratégica, Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas e Academia Internacional da Cultura Portuguesa, Vol. XVI, 2007, pp. 27 - 98; 2007. 
  8. GIAP, Vo NGuyen, Manual de Guerra Subversiva. Lisboa: Sílabo, 2005. 
  9. KEEGAN, John,  Intelligence in War – Knowledge of the enemy from Napoleon to Al-Qaeda, New York, Random House, 2003. 
  10. LAWRENCE, T. E.,  Os sete pilares da sabedoria, Lisboa: Europa América, 2004. 
  11. NYE, Joseph,  Compreender os conflitos internacionais – uma introdução à Teoria e à História. Lisboa, Gradiva, 2002. 
  12. TUNG, Mao Tse, Seis artigos militares do presidente Mao Tse Tung. Pequim: Edições em língua estrangeira, 1972. 
  13. TZU, Sun, A Arte da Guerra. Lisboa: Ed. Futura, 1974. 

LEITURAS COMPLEMENTARES 
  1. CABRAL, Amílcar, Guiné-Bissau - Nação Africana Forjada na Luta. Lisboa: Ed. Nova Aurora, 1974. 
  2. GUEVARA, Ernesto Che, Dimensão internacional da revolução. Barreiro: Ed. 17 de Outubro, 1976 
  3. LARA, Sousa, A Subversão do Estado. Lisboa, Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas, 1987. 
  4. LENINE, Vladimir Ilitch. O Marxismo e a Insurreição. Lisboa: Biblioteca do Socialismo Científico, 1975. 

POLEMOLOGIA: SESSÃO 5 

O Fenómeno da Guerra no novo século. As guerras irregulares e a transformação da natureza dos conflitos armados. As novas ameaças transnacionais e a segurança. A acção estratégica para fazer face às novas ameaças. 

LEITURAS OBRIGATÓRIAS 
  1. BROWN, M.E., Nationalism and ethnic conflict. Cambridge, Mass.: MIT Press. 2001. 
  2. ADDICOTT, Jeffrey, Terrorism and Weapons of mass destruction: A Rewiew and a New Paradigm. In Transnational Threats: Blending Law Enforcement and Military Strategies. Carlisle: Strategic Studies Institute, USAWC, 2000, p. 105-136. 
  3. BECKETT, Ian,  Insurgency in Iraq: A historical perspective. Carlisle: U.S. Army War College, 2005. 
  4. CREVELD, Martin van, The transformation of War, New York, The Free Press, 1991. 
  5. CANONICO, Peter,  An alternative military strategy for the war on terrorism. Montrey: Naval Postgraduate School, 2004. 
  6. COOPER, Robert, The Breaking of nations. Order and chaos in the twenty-first century. New York: Atlantic Monthly Press, 2004. 
  7. GARCIA, Proença, O Terrorismo transnacional – Contributos para o seu entendimento. In, Revista Militar. Lisboa: Abril de 2007, pp. 445 - 468. 
  8. GARCIA, Proença, As ameaças transnacionais e a segurança dos Estados. Subsídios para o seu estudo. In,  Negócios Estrangeiros, Ministério dos Negócios Estrangeiros, Março de 2006, pp. 341 – 374. 
  9. GARCIA, Proença, As guerras do terceiro tipo e a estratégia militar. Uma possível análise. In,  Revista Militar. Lisboa: Novembro de 2005, pp. 1349 – 1371. 
  10. GARCIA, Proença, SARAIVA, Francisca, O fenómeno da  Guerra no novo século – uma perspectiva. In, Negócios Estrangeiros, Ministério dos Negócios Estrangeiros, 2004. pp. 104 – 121.HOFFMAN, Bruce,  Insurgency and counterinsurgency in Iraq. Santa Mónica: Rand Corporation 2004. 
  11. HAMMES, Thomas,  The Sling and the stone – on war in the 21st Century. Zenith Press, 2004. 
  12. HOWARD, Russel; FOREST, James,  Weapons of Mass Destruction and Terrorism. McGraw-Hill, 2006. 
  13. KALDOR, Mary,  New and Old Wars – Organized Violence in a global era, Stanford University Press, 2001. 
  14. LAQUEUR, Walter, Guerrilla. A historical and critical study. London: Westview Press. 1984. 
  15. LAQUEUR, Walter,  No end to war: terrorism in the twenty-first century. New York: Continuum, 2003. 
  16. MACKINLAY, John, Globalisation and insurgency. Adelphi Paper 352. Oxford: Oxford University Press, 2002. 
  17. MACDONALD, Douglas, The New Totalitarians: Social Identities and Radical Islamist Political Grand Strategy. Carlisle: Strategic Studies Institute, 2007. 
  18. MARCHUETA, Regina, Reflexões sobre Terrorismo Internacional, Lisboa, Edições Duarte dos Reis, 2003. 
  19. METZ, Steven; MILLEN, Raymond,  Insugengy and counter-insurgency in the 21st century: Reconceptualizing threat and response. Strategic Studies Institute/US Army War College, 2004. 
  20. MUNKLER, Herfried, The wars of the 21st  century. IRRC. March 2003, Vol. 85, n.º 849, p. 7-22. 
  21. PHILLIPS, James, The Evolving al Qaeda Threat. The Heritage Foundation, 2006. 

LEITURAS COMPLEMENTARES 
  1. BAUER, Alain e RAUFER, Xavier,  A Globalização do terrorismo, Lisboa, Prefácio, 2003. 
  2. BAYLIS; John, COHEN, WIRTZ, James, Eliot, GRAY, Colin,  Strategy in the Contemporary World, an introduction to strategic studies, New York, Oxford University Press, 2002.  
  3. ESPOSITO, J. L. Unholy War: terror in the name of Islam. New York: Oxford University Press, 2002 
  4. GARCIA, Proença,  A Presença portuguesa em Timor Lorosa´e. “Estratégia”. Lisboa: Instituto Português da Conjuntura Estratégica, Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas e Academia Internacional da Cultura Portuguesa, Vol. XIII, (2002), pp. 231 – 250. 
  5. GARCIA, Proença, Contributos para o emprego do Batalhão de Infantaria na luta contra - subversiva actual. Revista Militar. Lisboa: Maio de 2003, pp. 515 – 555. 
  6. GOFF, Peter:  The Kosovo News and Propaganda War: Vienna, International Press Institute, 1999. 
  7. HAMMES, Thomas,  The Sling and the Stone – on war in the 21st Century. Zenith Press, 2004. 
  8. HOLSTI, Kalevi, The State, war, and the State of War, Cambridge, Cambridge University Press, 1996. 
  9. HUNTINGTON, Samuel,  The clash of civilizations and the remaking of world order,New York, Simon and Schuster, 1996. 
  10. KAUFMAN S.J., Modern hatreds: the symbolic politics of ethnic war. Ithaca, N. Y., Cornell University Press, 2002. 
  11. KELSEY, John, Islam and War – A study in comparative Ethics, Louisville, 1993. 
  12. MONTEIRO, Amaro.  O Islão, o Poder e a Guerra (Moçambique 1964-1974). Porto: Universidade Portucalense, 1993. 


POLEMOLOGIA: SESSÃO 06 

A Transformação da Defesa e a Network Centric Warfare. A visão europeia e norte-americana. A privatização da Defesa. A nova economia de Guerra. A Guerra e os media. 

LEITURAS OBRIGATÓRIAS 
  1. FRANCART, Loup, Maîtriser la violence –  une option stratégique. Paris: Economica, 2002. 
  2. GARCIA, Proença, A transformação dos conflitos armados e as Forças da Revolução nos Assuntos Militares. In,  Revista Militar. Lisboa: Novembro de 2005, pp. 1299 – 1307; 
  3. GARCIA, Francisco, MONSANTO, Ricardo (coordenação de), Portugal e a Transformação na Defesa, Academia Militar e Instituto de Altos Estudos Militares, Lisboa 2004.
  4. GRAY, Colin, Another Bloody Century – Future Warfare. 2006. 
  5. GRAY, Colin,  Recognizing and Understanding Revolutionary Change  in Warfare: The Sovereignty of Context, Strategic Studies Institute, Army War College, Carlisle, 2006. 
  6. PEREIRA, Carlos Santos, A RAM: Realidade e Utopia.  Nação e Defesa. Vol.104: 2ª Série (Primavera de 2003), pp. 149 – 183. 
  7. SINGER, Warren,  Corporate Warriors – The rise of the privatized military industry. New York: Cornell University, 2005. 
  8. SLOAN, Elinor, The Revolution in Military Affairs, Montreal e Londres, 2002. 
  9. SMITH, Rupert, The Utility of Force. The art of War in a modern world. London: Penguin, 2006. 
  10. TELO, António. Reflexões Sobre a Revolução Militar em Curso. Nação e Defesa Vol.103: 2ª série (Outono - Inverno 2002), pp. 211-249. 
  11. TOFFLER, Alvin; TOFFLER, Heidi.  Guerra e Anti-Guerra. Lisboa: Livros do Brasil, 1994. 
  12. VAZ, Mira,  Civilinização das Forças Armadas nas Sociedades Demoliberais. Lisboa: IDN, 2002. 
  13. YARGER, Harry, Strategic Theory for the 21st Century. The Litlle Book on Gran Strategy, Strategic Studies Institute, Army War College, Carlisle, 2006. 

LEITURAS COMPLEMENTARES 
  1. AAVV, The Changing Role of Information in Warfare, Rand Corporation, Santa Monica, 1999. 
  2. ADAMS, James,  The next World War: the warriors and weapons of the new battlefields in cyberspace. Hutchinson, London, 1993. pp. 149-183. 
  3. BLOCH, Ivan. The Future of War. New York: Doubleday and McClure, 1998. 
  4. BUZAN, Barry, People, States and Fear: An Agenda for International Security Studies in Post Cold War Era. New York, 1991. 
  5. COHEN, Eliot, Citizens and Soldiers, Ithaca e Londres, Cornell University Press, 1991. 
  6. DAVIS, Lynn [et. al.], Army Forces for Homeland Security. Santa Mónica: Rand Corporation, 2004. 
  7. JEAN, François et RUFIN, Jean-Christophe (Coord.).  Economies des guerres civiles. Paris : Hachette, 1996. 
  8. LAQEUR, Walter, CYBER Attacks During the War on Terrorism: A Predictive Analysis. Hanover: Institute for Security Technology Studies. Darmounth College, 2001. 
  9. METZ, Steven, Armed Conflict in the 21st Century: The Information Revolution and Post-Modern Warfare. Local:   Strategic Studies Institute/ US Army War College, 2000. 
  10. MOSKOS, Charles C.; WILLIAMS, John Allen; SEGAL, David. The Post-Modern Military: Armed Forces After the Cold War. New York: Oxford University Press, 2000. 
  11. SCHNABEL, Albrecht; EHRHART, Hans-Georg,  Security Sector Reform and post-conflict peacebuilding. New York: United Nations University, 2006. 

2 comentários:

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.